sábado, 14 de dezembro de 2013

Centro XLVI - rua da Quitanda

Hoje voltamos à rua da Quitanda, para ver este belo prédio azulejado e com telhões de beiral de faiança vidrada, que estava em plena reforma quando lá estive para fotografá-lo.

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

A. P. de Almeida & Malheiros (1889)


A propaganda acima, de 1889, talvez nos ajude um pouco a entender a predominância de azulejos holandeses, e em segunda lugar franceses, na cidade do Rio de Janeiro. Ela foi obtida no Almanak Administrativo, Mercantil e Industrial do Rio de Janeiro.

Observem também que mais abaixo há também a indicação de que este depósito vendia "telhas de barro vidrado para beirais", ou seja, provavelmente os telhões de faiança pintados em azul e branco, que já vimos vários aqui no blog, e que às vezes me parece que no Rio de Janeiro, apesar de tudo, do descaso e demolições em piedade, há ainda mais telhões de beiral de faiança vitrificada e pintada do que qualquer outra cidade portuguesa.

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Azulejos Antigos no Rio de Janeiro – da saudade à descoberta de um patrimônio azulejar original


Estão disponíveis para todos os interessados os slides apresentados na comunicação "Azulejos Antigos no Rio de Janeiro – da saudade à descoberta de um patrimônio azulejar original" no Segundo Encontro O AZULEJO HOJE, organizado pela Câmara Municipal de Lisboa, no dia 6/12/2013, no Teatro Aberto, Lisboa, Portugal.

Os slides, com suas respectivas legendas, estão em um álbum público na página do facebook deste blog. Na capa do álbum está também o resumo da palestra apresentada no encontro.

https://www.facebook.com/media/set/?set=a.748009748561502.1073741829.590030511026094&type=1&l=8f142ceada

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Lapa IX - rua Morais e Vale

Hoje trago uma foto do amigo Raul Félix, que ele me indicou por ser um caso semelhante à postagem anterior. Vemos aqui um sobrado também revestido com azulejos quadrados de cor lisa.


sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Centro XLV - rua do Teatro

Nesta postagem retornamos à rua do Teatro, onde encontrei este imóvel com um azulejamento bastante distinto de tudo que já vi pelas ruas do Rio Antigo.


sábado, 28 de setembro de 2013

Centro XLIV - rua Teophilo Otoni


Nesta postagem voltamos uma vez mais à rua Teophilo Otoni, para vermos um casarão de 3 andares que me parece representar uma transição no uso dos azulejos em sua fachada. Quase não há espaço para os azulejos, que ficam apenas acima das janelas no segundo e terceiro pavimento, sendo que neste formando apenas um friso. Pelos azulejos usados (todos aparentam ser do início do século XX), e estilo das janelas e cantaria, o prédio me parece quase uma despedida ao período das fachadas de azulejos.

domingo, 22 de setembro de 2013

Gamboa XIb - rua Pedro Ernesto

Hoje vemos mais uma comparação de um cartão postal de 1986, enviado pelo amigo Raul Félix, e o estado "atual" (07/2011, Google Street View) de outro imóvel na  rua Pedro Ernesto, na região portuária.


sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Gamboa VIb - rua Pedro Ernesto

Ontem meu caro amigo Raul Félix. me enviou 3 imagens de uma coleção de postais publicada pela Prefeitura com o tí­tulo "Olhos de ver", editada por volta de 1986. Sua (ótima) ideia é permitir uma comparação do estado dos imóveis há nem tanto tempo assim com o estado atual. Esta rua é infelizmente uma das mais abandonadas da Gamboa, que em si já é um bairro abandonado, que ainda não sentiu os benefícios da remodelagem e revalorização da região portuária.


terça-feira, 10 de setembro de 2013

Centro XLII - rua Teophilo Otoni


 Voltamos nesta postagem à rua Teophilo Otoni, tão rica em arquitetura antiga, bem como de fachadas azulejadas. Ao lado deste portentoso imóvel de 1902, há um inesperado chalé, que bravamente sobreviveu às várias transformações que o centro da cidade do Rio de Janeiro já passou.

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Centro XLI - rua Primeiro de Março

Dando continuidade à postagem anterior, veremos agora o edifício da direita, que está em pior estado de conservação, desta dupla de prédios adornados com belos telhões de faiança, provavelmente de fabricação do norte de Portugal (Porto), que se encontram no final da rua Primeiro de Março.


segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Centro XL - rua Primeiro de Março

A antiga Rua Direita é considerada a rua mais antiga do Rio de Janeiro, e foi a mais importante da cidade no século XIX. Originalmente, ligava o Largo da Misericórdia ao Morro de São Bento. Em 1875 passou a se chamar 1º de Março em homenagem à vitória aliada na Batalha de Aquidabã, que pôs fim à Guerra do Paraguai.

No seu final, quase no Morro de São Bento, há dois prédios bem parecidos, um em melhor estado de conservação que o outro, adornados com belos telhões de faiança, provavelmente de fabricação do norte de Portugal (Porto).


Nesta postagem, veremos o da esquerda, que está em melhor estado de conservação.

domingo, 21 de julho de 2013

Centro XXXIX - rua Teophilo Otoni


Nesta postagem a única novidade é o prédio, mais um localizado no centro do Rio com fachada revistida por azulejos holandeses, pois todos os padrões usados neste imóvel são já "velhos" conhecidos deste blog.

segunda-feira, 10 de junho de 2013

ali ao lado: azulejos e outros na Recife Antiga

Fiz em meu antigo blog duas longas postagens com fotos de azulejos e outros adornos cerâmicos que encontrei na minha breve visita a Recife. Mesmo que o assunto aqui seja apenas o Rio de Janeiro, achei que seria interessante ao menos trazer para cá os links das postagens de lá.

>> azulejos e adornos cerâmicos na arquitetura da Recife antiga (I)

>> azulejos da Recife antiga (II) - Igreja de Santo Antônio

domingo, 5 de maio de 2013

Laranjeiras II - Praça São Salvador

foto de Raul Félix
Casarão recuperado em 2011, localizado numa bucólica praça no bairro das Laranjeiras, que tem um climão de cidade do interior, com direito até a coreto onde grupos de samba e chorinho se apresentam.

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Centro XXXVII - Igreja de Nossa Senhora da Candelária

gravura de 1856, de Bertichem. Reparem que a igreja ainda não tem a sua cúpula principal.

A Igreja de Nossa Senhora da Candelária é um dos principais monumentos religiosos da cidade do Rio de Janeiro, tradicional palco de casamentos da sociedade carioca.

terça-feira, 16 de abril de 2013

Centro XXXIVb - Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro

Numa postagem anterior, contei um pouco da história da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro, e apresentei algumas fotos de seus azulejos. Recentemente, o Raul Félix me enviou mais fotos de azulejos dos corredores da instituição, que apresento abaixo.

quinta-feira, 4 de abril de 2013

sexta-feira, 29 de março de 2013

Lapa VIII - Igreja Nossa Senhora do Desterro


Volto a mais uma igreja com cúpula, bem como as torres, azulejadas, a Igreja de Nossa Senhora do Desterro, cujo nome completo é Igreja de Nossa Senhora do Carmo da Lapa do Desterro, e que alguns chamam simplificadamente como Igreja de Nossa Senhora da Lapa, ou ainda, apenas Igreja da Lapa.

sábado, 23 de março de 2013

Centro XXXV - Ao Faz Tudo (rua Visconde do Rio Branco)

Semana passada, ao passar pelo rua Visconde do Rio Branco para fotografar o prédio da postagem anterior, me dei conta que o painel de azulejos de sinalização da antiga loja de restauração AO FAZ TUDO foi removido do belo imóvel art nouveau que eles ocupavam desde 1926.

Centro XXXIV - rua Visconde do Rio Branco

Já faz muito tempo que estou para voltar à rua Visconde do Rio Branco, para fotografar estas platibandas azulejadas que me escaparam, mas para as quais fui alertado pelo atento Raul Félix.


domingo, 17 de março de 2013

Centro XXIIIb - Igreja da Ordem Terceira do Carmo

Ontem fim um longo "safari" pelo Centro do Rio de Janeiro, e deste trouxe uma grande quantidade de fotos de azulejos e telhões de beiral em faiança, bem como algumas estátuas de faiança, que aos poucos vou publicar por aqui. Todas as vezes que volto de um passeio assim, fico em dúvida por onde começar! Já foram quatro possibilidades, mas no final venceu a Igreja da Ordem Terceira do Carmo, ou melhor, suas cúpulas azulejadas. Em uma postagem anterior, eu já contei um pouco da história da Ordem e desta igreja em particular, e mostrei os azulejos holandeses que ornamentam e dão vida a um espaço de circulação lateral aberto como uma varanda.

sábado, 16 de março de 2013

Nos periódicos do século XIX

Hoje fiz uma pequena pesquina na Hemeroteca Digital da Biblioteca Nacional, para ver se encontraria alguma propaganda, nota, anúncio, comunicado, artigo, alguma coisa, nos jornais do século XIX, sobre o comércio e uso de azulejos no Rio de Janeiro daquela época.

O resultado até onde eu fui, antes de cair no cansaço, não foi dos melhores, mas mesmo assim me trouxe algumas informações que podem um dia ser subsídio para algumas conclusões.

1824

sábado, 9 de março de 2013

Catete Vb - rua do Catete

Hoje recebi pelo correio o maravilhoso livro "O Azulejo na Arquitetura Civil de Pernambuco - Século XIX", da arquiteta Sylvia Tigre e do o engenheiro português António Cruz, e explêndidas fotografias de Tuca Reinés.

Uma coisa que achei deveras interessante neste livro foram os azulejos da foto abaixo, reproduzida do livro, que se encontram na fachada principal de um casarão palaciano no bairro da Madalena, no Recife.


Saúde IId - rua Sacadura Cabral

Esta semana, quando fui ao novo Museu de Arte do Rio (MAR), aproveitei para ver com estava a reforma do prédio da rua Sacadura Cabral ali perto, que já foi assunto de três postagens anteriores aqui no blog (1) (2) (3).

De longe comecei a ficar animado, pois o prédio, bem como o seu vizinho, que antes estavam em estado deplorável, estavam já prontos, sem as telas de proteção das obras, mas foi só eu me aproximar um pouco mais para perceber que a coisa não era tão feliz assim.


domingo, 3 de março de 2013

Catete V - rua do Catete


Voltamos agora ao bairro do Catete. O Catete é um tradicional e histórico bairro do Rio de Janeiro, e já foi sede da presidência da república brasileira, que ficava localizada no Palácio do Catete, que é até hoje principal munumento da região. Assim como a Glória e Santa Teresa, teve um passado nobre, mas hoje em dia é um típico bairro de classe média. Ainda encontramos no bairro vários casarões das últimas décadas do século XIX e início do XX, o seu período de maior luxo. O bairro se tornou importante após o Palácio do Catete se tornar a sede do governo federal em 1897. Tal situação durou até 1960, quando a capital brasileira foi transferida para Brasília.

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Quissamã Ib - Solar de Mandiquera

Como a postagem anterior sobre os azulejos e ornamentos de faiança do Solar da Fazenda Mandiquera ficou muito extenso, e muito focado no padrão "Engels net", e hoje consegui informações sobre o outro azulejo, que permanecia ainda não identificado, achei melhor abrir uma nova postagem para apresentar estas novas informações.


Centro XXXIV - Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro

Esta postagem apresenta três fotos de azulejos na Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro. de autoria do incansável fotógrafo Raul Félix.

A Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro é uma instituição de assistência médico-hospitalar do Rio de Janeiro, no Brasil. A sua fundação remonta às instalações organizadas pelo padre José de Anchieta quando da chegada, à cidade do Rio de Janeiro, da esquadra do almirante Diogo Flores de Valdés, em 24 de março de 1582 atacada de escorbuto.

Fachada do portão central da  Santa Casa da Misericórdia. fonte >>

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Quissamã III - Chácara São João

Encerrando a série de fotos enviadas pelo por Mateus Fragoso, vemos um azulejo do acervo de Helianna Barcellos de Oliveira, que o salvou da cozinha da Chácara São João.


sábado, 23 de fevereiro de 2013

Quissamã II - Solar de Machadinha

Vemos agora mais uma foto enviada por Mateus Fragoso, do acervo de Helianna Barcellos de Oliveira, que salvou estes azulejos da cozinha das ruínas do Solar de Machadinha (construído em 1867).



sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Catete IVb - rua Bento Lisboa

Hoje, pesquisando os azulejos do Solar de Mandiquera do post anterior no catálogo do Museu Nacional do Azueljo da Holanda, acabei encontrando decorações muito próximas a do azulejo de padrão do sobrado da rua Bento Lisboa que foi visto nesta postagem anterior.

Quissamã I - Solar de Mandiquera

Esta semana fui procurado por Mateus Fragoso, que está envolvido nas pesquisas do projeto de restauro do Solar da Fazenda Mandiquera, na cidade de Quissamã, na região norte do estado do Rio de Janeiro. Ele me enviou fotos de 2 azulejos de padrão encontrados neste solar. Mateus me pediu para ajudá-lo na identificação da origem dos azulejos.



terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Catete Ib - rua Bento Lisboa


Nesta postagem apresento um antigo sobrado no Catete, usado atualmente por uma padaria, cujo proprietário parece se preocupar apenas com o aspecto interno de seu estabelecimento, como se a parte externa fosse menos importante.

sábado, 2 de fevereiro de 2013

Catumbi III - rua Pedro Mascarenhas

Esta postagem apresenta de uma só vez os azulejos de oito casas na rua Pedro Mascarenhas, no Catumbi, bairro que, como disse no post anterior, já teve seus dias de glória, mas que há décadas é uma região abandonada e empobrecida, em plena área central da cidade.


quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Catumbi I - rua do Catumbi

Ontem fiz um "tour" fotográfico pelo bairro do Catumbi, para fotografar 14 imóveis com azulejos antigos. Na verdade, fui para fotografar 10 imóveis, mas no caminho encontrei mais 3 (bem simples, apenas com faixas de azulejos retangulares horizontais chanfrados), e graças à dica do amigo Raul Félix, pude fotografar mais um que eu não conhecia, que por pouco me escapou.

Resolvi começar pela rua com o mesmo nome do bairro. Este bairro, um dos mais antigos do Rio de Janeiro, que nas últimas (muitas) décadas é feio e abandonado pelo poder público, outrora teve melhor sorte. Em fins do século XIX, a região era elegante com sobrados de classe média alta, como referido nas obras do escritor Machado de Assis. Mas no século XX, depois de rasgarem o bairro ao meio com viadutos e pistas de acesso ao túnel Santa Bárbara, da construção de um imenso presídio, somado ao fato de no bairro existir um grande cemitério, ele foi relegado a um mero corredor de passagem entre a zona norte e zona sul, e acabou marginalizado, triste, e abandonado. A única coisa nova que o bairro recebeu foi o Sambódromo, na década de 1980, e que ano passado foi duplicado.

Voltando ao que interessa, aqui estão as fotos de dois imóveis comerciais bem simples na rua do Catumbi, quase dois galpões, que apresentam azulejos em tons de verde e verde-azulado.


sábado, 19 de janeiro de 2013

São Pedro da Aldeia Ib - Casa dos Azulejos

Meu pai, Júlio Carvalho, me fez um grande favor e bateu novas fotos da "Casa dos Azulejos", como é conhecido este imóvel de 1847, que eu já havia postado anteriormente, e que pode ser conferido neste link. Na publicação anterior há a história da casa, e considerações sobre as possíveis origens dos azulejos, o que eu não vou repetir aqui.


quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Gamboa IVb - rua do Livramento

Volto a este simpático imóvel, originalmente de apenas um pavimento, na rua do Livramento, que já havia publicado aqui no blog em uma postagem anterior, apenas com imagens do Google Street View, que não revelava muita coisa sobre os azulejos.



Lapa VI - Escadaria Selarón

Esta postagem foi originalmente feita em 25 de julho de 2012 no meu outro blog Porcelana Brasil. Fica aqui como uma homenagem ao artista que nos deixou há poucos dias.

Já que venho sistematicamente apresentando os azulejos antigos no Centro do Rio de Janeiro, achei que era hora para fazer uma pausa para falar sobre um dos pontos turísticos mais recentes da cidade, que envolve os azulejos. Trata-se da Escadaria Selarón.

Caju Ib - Praia do Caju

Hoje tive a felicidade de receber um email de Peter Sprangers, do Historische Kring Tolsteeg-Hoograven, em Utrecht. Ele me enviou várias pranchas de miniaturas de páginas de um catálogo da fábrica Ravesteyn, também de Utrecht, e em uma das pranchas encontrei finalmente os azulejos de padrão/cercadura desta casa no Caju:

foto: Raul Félix.